13
jun

Eleições 2012: Workshop Digital

13 de junho de 2012

A Marco7 Interativa montou grupo de experts para debater sobre as formas de atuar nas mídias sociais no contexto das eleições municipais de 2012. O grupo está rodando o Brasil com especialistas que vão agitar os dedos daqueles que querem entrar no mundo da política 2.0. A política interativa na web. Conheça o time, que faz escala em Guarujá (SP).

Compartilhar no Facebook
Twittar
Enviar por e-mail
0
13
jun

No iPhone 3GS e 4, mapas do iOS 6 não terão 3D, nem GPS ponto a ponto

13 de junho de 2012

Parecia que a única decepção a respeito do iOS 6 iria ser o fato de ele não ser disponibilizado para o iPad original e para o iPod Touch de terceira geração, mas conforme os desenvolvedores testam o novo sistema, algumas novas limitações começaram a aparecer. Os modelos iPhone 4 e 3GS, por exemplo, não vão contar com algumas funções legais do novo serviço de mapas da Apple.

Os maiores atrativos do novo sistema de mapas da Apple – a vista aérea em terceira dimensão Flyover e a navegação ponto-a-ponto (estilo GPS) – só estarão presentes nos dispositivos com processadores A5 ou A5X. Ou seja: somente o iPhone 4S, o iPad 2 e o novo iPad receberão as novidades.

A Apple não divulgou o porquê da exclusão dos seus outros modelos de iPhone, lançados respectivamente em 2010 (3GS) e em 2011 (4), mas, pelo que foi percebido, a questão deve ser realmente a capacidade do hardware.

Os dois modelos também deixarão de receber a integração de seus números de telefone com o app Facetime, que permite que você atenda ligações telefônicas de qualquer aparelho iOS sincronizado com o programa, como um iPad ou um Mac.

Exclusivamente no iPhone 3GS, ainda, haverá mais restrições: ausência do serviço de compartilhamento de fotos Photo Streams, e da opção de leitura offline das páginas do Safari.

Fonte:The Verge

Compartilhar no Facebook
Twittar
Enviar por e-mail
0
12
jun

Justiça confirma demissão por justa causa de enfermeira que postou fotos do trabalho

12 de junho de 2012

Decisão final, que se refere a profissional que postou nas redes sociais fotos do ambiente de trabalho em hospital de Olinda (PE), é de abril, mas foi divulgada apenas nesta terça-feira (12/6)

 

BRASÍLIA – Postar fotos do ambiente de trabalho nas redes sociais pode resultar em demissão por justa causa, segundo decidiu o Tribunal Superior do Trabalho (TST). A decisão é do final de abril, mas foi divulgada apenas nesta terça-feira, 12, pela corte trabalhista, e não cabe mais recurso.

 A Segunda Turma do TST analisou o caso de uma enfermeira que foi demitida do hospital Prontolinda, em Olinda (PE), depois de publicar no Orkut fotos da equipe trabalhando na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A profissional alegou que foi discriminada, pois não foi a única a divulgar as fotos, e pedia a descaracterização da justa causa. Também cobrava o pagamento de dano moral pelo constrangimento causado com a demissão.
 

Já o hospital argumentou que as fotos motivaram comentários de mau gosto na rede social, expondo a intimidade de outros funcionários e de pacientes sem autorização. Além disso, afirmou que a imagem do hospital foi associada a “brincadeiras de baixo nível, não condizentes com o local onde foram batidas”.

A profissional venceu na primeira instância, que reverteu a justa causa e reconheceu os danos morais, condenando o hospital a pagar R$ 63 mil. O juiz da 3ª Vara do Trabalho de Olinda entendeu que as fotos mostravam “o espírito de confraternização, de amizade, união e carinho entre os funcionários”.

A decisão foi revista pelo Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região (PE), que concordou com os argumentos do hospital e confirmou a demissão por justa causa. Na decisão, a corte falou sobre a inadequação das imagens, citando, como exemplo, uma foto que mostrava “uma das enfermeiras semiagachada e uma mão supostamente tentando apalpá-la”.

A profissional acionou o TST, mas a Segunda Turma negou o pedido por unanimidade.

Com informações da Agência Brasil

Compartilhar no Facebook
Twittar
Enviar por e-mail
0
15
mai

Interatividade a todo vapor no Senado Federal

15 de maio de 2012

Estamos inaugurando uma nova era na história de nosso Parlamento, em que os brasileiros poderão participar do trabalho parlamentar”, anunciou o presidente do Senado, José Sarney em cerimônia de lançamento do Portal e-Cidadania e o novo Portal de Transparência do Senado. Os novos instrumentos de comunicação atendem as exigências da Lei de Acesso à Informação.

Interatividade no Senado Federal

Sarney previu que no futuro as leis serão votadas diretamente na internet pelo conjunto dos cidadãos. Ele atribui aos novos portais do Senado a iniciativa de avançar no tempo: “este futuro começa agora, quando damos os primeiros passos para torná-lo realidade. O futuro começa com o e-Cidadania”.

O senador reconheceu a ousadia de suas expectativas e detalhou as formas de acesso direto por parte da população à elaboração de propostas de lei. “Qualquer brasileiro pode lançar sua ideia para resolver falhas ou omissões nas leis brasileiras. O cidadão não precisa ter conhecimento de técnica legislativa: sua ideia será lançada na busca de apoios na rede do Senado, nas mídias sociais”, explicou Sarney. “Se alcançar número suficiente de apoios, será transformada em projeto de lei e submetida à tramitação como os projetos de iniciativa popular”.

O novo portal consolida e aprimora vários instrumentos já em uso pelo Senado – o Siga-Brasil, o Lex-ML, o Alô Senado, entre outras ferramentas -, adequando-os a nova lei de acesso à informação. Sarney afirmou que o objetivo dos novos instrumentos de comunicação é reunir o Parlamento em contato direto com a sociedade. “Queremos começar a oferecer ao cidadão uma nova maneira de ver o Parlamento, de sentir o pulso do Parlamento, de tomar parte nos trabalhos do Parlamento”, acrescentou.

Ele explicou que com o Portal e-Cidadania, o Senado oferece aos brasileiros a possibilidade de propor debates nas comissões, propor audiências públicas. O cidadão também poderá, usando os novos instrumentos de comunicação do Senado, dar sua opinião sobre temas em discussão, sobre projetos de lei, acompanhar o trabalho dos Senadores. “Agora o cidadão pode iniciar sua própria proposta de lei”, informou.
A expectativa é a de atingir 2 milhões de contatos por ano com a população, informou Sarney. “Queremos também qualificar estes contatos, mantendo o princípio essencial de que o Parlamento é o mais transparente dos poderes”, declarou o parlamentar.

O Portal da Transparência, segundo a diretora-geral Doris Peixoto, passa a colocar no ar um formulário de solicitação de informações, integrado ao já existente sistema de atendimento Alô Senado, que recebe cerca de um milhão de mensagens por ano. Isto, somado a configuração interativa do Portal e-Cidadania, permitirá que no futuro, “num determinado momento, o Poder Legislativo será função também de todos os cidadãos”, previu o presidente do Senado.

A solenidade contou com a presença de vários senadores, da secretária-geral da Mesa, Cláudia Lyra e da diretora-geral Doriz Peixoto.

Compartilhar no Facebook
Twittar
Enviar por e-mail
0
09
mai

Cresce o uso da internet como fonte de pesquisa sobre candidatos políticos

09 de maio de 2012

Meio de comunicação democrático e orgânico, que permite saber mais dos candidatos às eleições de modo menos enviesado quando comparado ao rádio e à televisão. Essa é a forma como Ginny Hunt, líder da equipe de Políticas e Eleições do Google, define a internet sob o ponto de vista político. E, para a especialista, essa característica da web não fica restrita ao período de eleições, mas é constante, “já que a democracia acontece todos os dias”. É natural, porém, que em anos como este — em que ocorrem pleitos no Brasil, com eleições municipais, e em países como Egito, França, Grécia e Estados Unidos, com disputas presidenciais — a rede de computadores se torne ainda mais importante na mediação do relacionamento entre políticos e eleitores.

De acordo com dados colhidos pelo Google, em anos eleitorais, os internautas se tornam investigadores antes do processo de votação e costumam recorrer, em média, a um total que varia entre 14 e 20 fontes on-line, como sites e blogs, para embasar suas escolhas. A grande diferença de procurar informações sobre candidatos na internet e nos outros meios, segundo Hunt, é que o material encontrado não trata tanto do que o candidato apresenta de si mesmo, mas do que os próprios eleitores querem saber. “É invertida a lógica dos dados, que passam a ser mostrados a partir das dúvidas e anseios dos indivíduos”, analisa o pesquisador do Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília (UnB) Marcello Barra, especializado em internet.

Fonte: Correio Braziliense

Compartilhar no Facebook
Twittar
Enviar por e-mail
0
16
abr

Presidente do STF lança ‘Google’ de processos e bens de brasileiros

16 de abril de 2012

A menos de uma semana de deixar a Presidência do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Cezar Peluso lançou nesta sexta-feira, 13, uma central nacional de informações sobre processos e bens dos brasileiros. Uma espécie de Google da Justiça, a central promete fornecer dados via Internet sobre a existência ou não de ações contra as pessoas e de imóveis.

A Central Nacional de Informações Processuais e Extraprocessuais (CNIPE) foi lançada sem que as informações de todo o País estivessem disponíveis. De acordo com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), nesta primeira fase será possível pesquisar de forma integrada mais de 30 milhões de processos, indisponibilidade de bens, protestos cambiais e ocorrências imobiliárias. O endereço na Internet para fazer as pesquisas é www.cnj.jus.br/cnipe.

Os dados por enquanto disponíveis são parciais e referem-se aos tribunais de Justiça de Alagoas, Distrito Federal, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo A expectativa no CNJ é de que até 2014 seja possível acessar todos os processos em tramitação na Justiça brasileira. Para criar a central, foram gastos R$ 44,9 milhões. Outros R$ 3 milhões serão consumidos com a prestação de serviços durante o primeiro ano.

“A partir de agora, o Judiciário se submeterá a um raio-x permanente. E os resultados deste exame estarão disponíveis a qualquer cidadão” , disse Peluso. “O acesso à informação é um dos requisitos básicos do exercício da cidadania nas modernas democracias. Com o lançamento da CNIPE, o Conselho Nacional de Justiça oferece contribuição importante à modernização da Justiça, à consolidação da democracia e à valorização da cidadania em nosso país. Com esse projeto, o Judiciário aproxima-se ainda mais dos cidadãos”, afirmou.

Fonte: Estado de S.P.

Compartilhar no Facebook
Twittar
Enviar por e-mail
0
13
abr

Vaga para estágio desenvolvedor em wordpress

13 de abril de 2012

Programação em wordpress

Marco7 Comunicação Interativa / Programação

Descrição

Contrato estagiário para atuar na área de programação, que tenha conhecimento de wordpress.

Como se candidatar

Envie e-mail para contato@marco7.com.br

Informações para contato

Telefone:
61-30347215

E-mail:
contato@marco7.com.br

Site:
www.marco7.com.br

 

Compartilhar no Facebook
Twittar
Enviar por e-mail
0
11
abr

Twitter e as eleições de 2012 no Brasil

11 de abril de 2012

O TSE confirmou o entendimento que, a nosso ver, já deveria ser pacífico, abrangendo o Twitter como rede social sujeito à regulação da Lei nº 9.504/97, especialmente seus artigos 36 e 57-B. No caso, entendeu o plenário em abranger a proibição do uso doTwitter antes do prazo eleitoral, que se inicia em 6 de julho. 

Claro que a decisão não impede o exercício legítimo da liberdade de expressão, nem mesmo impede que os futuros candidatos, agindo como pessoa física comum, possam usar as redes para seus fins profissionais, pessoais e até mesmo para divulgar trabalhos que vêm sendo realizados politicamente. O que não poderá fazer é pedir votos, nem utilizar imagem ou perfil que exponham claramente sua candidatura. Essa possibilidade de perfil com identificações próprias de cunho eleitoral somente se abre quando iniciado operíodo de campanha. Exemplifico:

- Antes de 6 de julho: o pretenso candidato pode usar sua conta do Twitter e/ou Facebook, por exemplo, desde que não peça votos ou não tenha cunho eleitoreiro. Não é preciso cessar o uso de tais redes. Ocandidato Fulano de Tal, assim, poderá manter sua conta do Twitter @fulanodetal. Só não pode postar pedido de votos ou se dizer candidato, ainda que subjetivamente.

- A partir de 6 de julho: o agora oficialmente candidato poderá criar uma conta específica para pedir votos, mas a lei não prevê a necessidade de informar as contas ao TSE. Fica permitido o uso da conta, por exemplo, @vereadorfulanodetal ou @fulanodetal2012, as quais trazem no próprio nome conteúdo eleitoreiro. Poderá até mesmo usar a mesma conta pessoal.

Em relação a essa “nova” decisão do TSE, vale registrar dois aspectos noticiados na mídia que me chamaram atenção. O primeiro é a declaração do Deputado Roberto Freire, presidente do PPS, de que ingressará com Ação Direta de Inconstitucionalidade sobre a proibição de uso da rede social antes do período eleitoral. Ora, o Deputado não entendeu bem que a decisão não proíbe o uso das redes sociais pelos futuros candidatos, mas somente os impede de fazer campanha eleitoral antecipada. Assim, não estarão proibidos de postar sobre seu dia a dia, sua vida particular, fotos, ou qualquer outro elemento que não tenha conteúdo eleitoreiro. A liberdade de expressão está plenamente garantida, não havendo, a meu ver, qualquer inconstitucionalidade na decisão que visa assegurar regras mínimas e condições igualitárias de concorrência no pleito eleitoral.

O segundo ponto que me chamou a atenção é a argumentação do voto vencido do Ministro Gilson Dipp, que entendeu não ser a rede social Twitter meio de comunicação em geral, e que as postagens seriam direcionadas a interessados determinados, não sendo assim passível de proibição. Disse o Ministro:

“No Twitter não há a divulgação de mensagem para opúblico em geral, para destinatários imprecisos, indefinidos, como ocorre no rádio e na televisão, mas para destinatários certos, definidos. Não há no Twitter a participação involuntária ou desconhecida dos seguidores. Não há passividade das pessoas nem generalização, pois a mensagem é transmitida para quem realmente deseja participar de um diálogo e se cadastrou para isso.”

Ouso discordar do nobre Ministro. O Twitter, diferente de outras redes sociais, não permite o direcionamento das mensagens, ou seja, todas as postagens são públicas e ficam disponíveis para qualquer usuário da rede. Osimples fato de não seguir uma pessoa não significa que não há acesso à informação postada por ela. Exemplo: se o @fulanodetal posta: “votem em mim nas eleições2012” e alguém utiliza os mecanismos de busca do próprio Twitter para localizar a expressão “eleições2012”, encontrará a postagem do desavisado candidato, quer ele queira ou não, pouco importando se previamente já o seguia. Não há no Twitter regulaçãode privacidade.

O entendimento do Ministro é importante e deve até servir de fundamento para discussões e reflexões no sentido de se mitigar a aplicação do artigo 57-B a outras redes sociais, como o Facebook, pelo qual pode opretenso candidato direcionar postagens para públicos determinados, como por exemplo, sua família. Todavia, especificamente para o Twitter a consideração do voto vencido não nos parece razoável, mas reafirmo ser um precedente excelente para defesa em eventuais comprometimentos do candidato por suas postagens em redes que possuem controle de privacidade e tenha sido direcionada para público determinado, de seu relacionamento pessoal.

Fonte: www.jus.com.br

Compartilhar no Facebook
Twittar
Enviar por e-mail
0
17
dez

Facebook disponibiliza novo perfil

17 de dezembro de 2011

‘Timeline’ exibe linha do tempo da vida virtual do usuário.
Nova página ficará visível apenas aos usuários por sete dias.

O Facebook começou a disponibilizar nesta quinta-feira (15) a Timeline, o novo perfil, para todos os usuários. A rede social anunciou a Timeline, recurso que traz uma linha do tempo do usuário da vida do usuário na rede social, em setembro. Ao mudar para a Timeline, o usuário passará por um período de adaptação de sete dias, em que somente ele verá seu novo perfil. Durante esse tempo, ele poderá navegar pela página e decidir o que quer que as pessoas vejam e adicionar novas informações.

Modelo de Timeline, o novo perfil do Facebook (Foto: Reprodução)
Com o novo perfil, o mural se transforma em uma série de publicações de duas colunas com diferentes tamanhos, de acordo com a “importância” de cada fato. A página é liderada por uma foto selecionada pelo usuário e existe a possibilidade de personalizar o que ele compartilha e com quem compartilha.
A linha do tempo chega até o passado e começa na data de nascimento do usuário, que pode preencher os “espaços em branco” sobre sua vida até o momento em que se registrou no Facebook com fotos, vídeos e atualizações de status.
A companhia afirmou em comunicado que os usuários do Facebook receberão uma notificação em seu perfil para implantar a nova timeline. Quem ainda não recebeu a notificação, mas quer ter o recurso, pode visitar a página da Timeline e optar pelo novo modelo.
“A timeline oferece uma forma simples de redescobrir as coisas que você compartilha e reunir os momentos mais importantes. Também permite compartilhar novas experiências, como a música que você escuta ou os quilômetros que percorre”, afirmou a empresa.

Fonte: g1.com

Compartilhar no Facebook
Twittar
Enviar por e-mail
0
30
nov

PRIVACIDADE: Facebook faz acordo judicial nos EUA

30 de novembro de 2011

REDE É ACUSADA DE NÃO MANTER PROMESSA AOS USUÁRIOS

A rede social Facebook resolveu fazer um acordo e mudar algumas de suas práticas de privacidade diante das acusações da Federal Trade Commission (FTC) nos Estados Unidos, segundo informações da própria entidade. Um processo na FTC acusava o Facebook de ter enganado os consumidores quanto à privacidade de seus dados.

Fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, na sede da rede social em Palo Alto, na Califórnia (Foto: Paul Sakuma, File/AP)

De acordo com as acusações, o Facebook disse aos seus usuários que poderia manter suas informações privadas, mas repetidamente permitiu que elas fossem compartilhadas e tornadas públicas. Reclamações sobre as práticas de privacidade do Facebook foram feitas para a FTC pelo Centro de Privacidade da Privacidade Eletrônica dos Estados Unidos e por grupos de consumidores, afirma a organização.

Com o acordo, o Facebook passa a ter que tomar novas medidas para manter a promessa de que pode manter os dados privados.

Agora, a rede social terá, por exemplo, que obter a autorização do usuário para quando sua informação for compartilhada além do que ele havia estabelecido. Além disso, será preciso que uma empresa independente faça avaliações independentes e periódicas das práticas da privacidade da companhia.

“O Facebook é obrigado a manter as promessas que faz sobre privacidade”, disse Jon Leibowitz, presidente da FTC. “A inovação do Facebook não tem que vir às custas da privacidade do usuário.” A acusação do FTC traz uma lista de exemplos em que o Facebook não teria cumprido sua promessa de privacidade aos usuários.

Zuckerberg
No blog oficial do Facebook, Mark Zuckerberg, CEO da empresa, diz ser o “primeiro a admitir” que a companhia cometeu erros ao lidar com a privacidade dos usuários. Acho que até cometemos um pequeno número de grandes erros, como quando fizemos a transição do modelo de privacidade há dois anos. Isso colocou na sombra muitas das coisas boas que temos feito”, afirmou o executivo-chefe da rede social.

Além das medidas impostas pela comissão, Zuckerberg anunciou a criação de dois outros cargos executivos para lidar com o assunto.

Fonte: G1.com



Compartilhar no Facebook
Twittar
Enviar por e-mail
0
Shop online with https://rxstock.org ""` online pharmacy viagra is suitable for you. Mail order online pharmacy stock a range of health product. Medicine will be delivered to Canadian pharmacy !.*] purchase viagra safest way to get! Buy prescription drugs online on the Canadian pharmacies <|~ Canadian drugs here we have posted the price, in which you can find all drugs available in.